.
.

descaminho (2007)




Descaminho foi o primeiro experimento cênico do Quatroloscinco - Teatro do comum. Em agosto de 2007, o grupo foi selecionado para participar do Projeto Laboratório Textualidades Cênicas Contemporâneas, promovido pela Fundação Municipal de Cultura.

Na edição de 2007, coordenada por Fernando Mencarelli e Nina Caetano, a proposta focou as múltiplas possibilidades de intervenção artística no Teatro Municipal Francisco Nunes, buscando novas formas de ocupação e co-habitação do espaço do teatro e seu entorno, e repensando a função e a concepção do edifício teatral.

Descaminho se iniciava como uma espécie de coquetel solene no foyer do teatro e passava para uma caminhada pelo Parque Municipal, embalada por música, dança e vinho, onde duas figuras em contraste - uma apolínea  a outra dionisíaca, disputavam um pacto artístico com o público, confrontando ideias sobre memória, esquecimento, sanidade, loucura, o eterno e o efêmero. Profetiza-se a morte do teatro francisco nunes, ocupado por uma igreja evangélica.
 
A caminhada termina em uma praça com os bustos dos fundadores de belo horizonte. os atores se relacionam com as imagens em espírito de festa e profanação.
 
Em uma lápide se lê:
"A Prefeitura Municipal, no ano do 1º centenário de Belo Horizonte, deposita neste local urna contendo documentos, mensagens e objetos que dizem da vida e dos sentimentos dos cidadãos desta capital, dirigidos aos cidadãos do ano 2097. Quando o lacre deverá ser quebrado e o seu conteúdo levado ao conhecimento público. Belo Horizonte, 13 de dezembro de 1997. Célio de Castro. Prefeito de Belo Horizonte."

Descaminho tenta proporcionar uma experiência sensorial ao passar do foyer do Teatro Municipal para uma praça aberta, um teatro de arena, provocando um contraste de ambientes e contextos, e incitando à relação dialética entre o teatro-instituição-burguesa e o teatro-fenômeno-efêmero. Atores e público lidam com o prazer do instante e o peso da história institucionalizada, em uma relação dinâmica entre passado, presente e futuro. Este experimento criativo representou, para o grupo, o ponto de partida para as atividades e criações que se seguiram. Questionamentos estéticos e temáticos levantados em Descaminho ainda ecoam no trabalho do grupo.

Estreia: 17 de novembro de 2007.
Orientação de processo: Fernando Mencarelli, Fernanda Lippi (Zikizira Phisical Theatre) e Nina Caetano.
Artistas criadores: Marcos Coletta, Polyana Horta, Rejane Faria e Sérgio Nicácio.
Trilha sonora original: Sérgio Nicácio.